The X Factor e a busca por estrelas da música

Eu sempre fui viciado em Reality Shows. Pela predominância do estilo, um dos que costumava assistir desde novo eram os de competições musicais. Dada a inexistência de TV a Cabo na minha casa, assistia sagradamente o Popstars que veio a lançar o Rouge no Brasil, amava os jurados do Ídolos e curtia, ainda que em menor escala, o Fama. Com a inclusão da TV a Cabo e a ampliação dos domínios da internet, pude descobrir as versões originais de vários desses e cair de cabeça em outros.

Foi então que Cheryl Cole, integrante da minha girlband favorita – Girls Aloud, entrou no painel de jurados do The X Factor em 2008. Nunca tinha ouvido falar na franquia até então, mas o interesse de acompanhar os projetos paralelos das “Aloud” me fez ir atrás desse programa e me apaixonei tremendamente pelo formato.

Lançado inicialmente no Reino Unido em 2004, o programa começou a ser produzido em vários outros países ao redor do mundo, totalizando atualmente mais de 40 versões (sendo as do Reino Unido, Itália, Dinamarca e Austrália1 – principalmente UK e OZ – os mais bem-sucedidos, com 12, 9, 8 e 7 temporadas já produzidas respectivamente). Decidi fazer esse post porque a Band anunciou a versão brasileira do programa para o segundo semestre desse ano. Desfruto então de sentimentos dúbios: a felicidade de ter o melhor formato de reality show musical numa versão brasileira, mas o medo do que farão nessa versão. Isso porque o programa sempre foi um espetáculo por conta dos recursos utilizados e do nível elevado de toda a produção.

Muitos artistas hoje famosos vieram da franquia, dentre os quais destaco a boyband One Direction (7ª temporada do The X Factor UK), as girlbands Fifth Harmony (2ª temporada do The X Factor USA) e Little Mix (8ª temporada do The X Factor UK) e a cantora Leona Lewis (3ª temporada do The X Factor UK).

Embora as versões tenham variações no formato (cortando algumas etapas e modificando outras), o programa costuma seguir essas 5 fases:

  1. Audições (Auditions) – Inicialmente eles se apresentam para os produtores (não-televisionado), que fazem um filtro dos participantes. Os aprovados passam para a audição com os quatro jurados do programa. Inicialmente, esta era feita em uma sala intimista, mas modificaram o sistema e passou a se realizar já na arena com a reação de milhares de pessoas do público;
  2. Campo de Treinamento (Bootcamp) – Os selecionados pelas Audições passam por outras avaliações adicionais nesta etapa. Normalmente ocorre uma apresentação em que estes concorrentes são unidos em grupos com outros participantes, seguido de mais uma apresentação individual;
  3. Desafio das 6 cadeiras (6-Chair Challenge) – Nesse momento, os jurados já estão divididos como mentores nas 4 categorias de participantes (garotos, garotas, concorrentes acima de 25 anos e grupos). Cada um tem 10 participantes e deve escolher 6 desses para passar para a próxima etapa. A decisão deve ser feita logo após o concorrente acabar sua apresentação (que é feita na arena com o público presente) e, uma vez que as 6 cadeiras estejam ocupadas, ele pode selecionar um novo candidato mandando algum já aprovado para casa;
  4. Casa dos Jurados (Judge’s Houses) – Os seis concorrentes se apresentam para o seu mentor e um artista convidado por ele, que juntos analisarão quais são os três que deverão passar para a etapa dos shows ao vivo;
  5. Shows ao vivo (Live Shows) – Toda semana há um tema diferente (Semana da Big Band, do Rock, de Musicais, da Dor-de-cotovelo, do “Michael Jackson”, etc.) e o mentor trabalha junto com seus artistas montando uma performance que vai buscar destacar tudo que ele sabe fazer de melhor. Essas apresentações servem para visualizar o potencial de estrela no palco do artista e trabalhar o desenvolvimento de seus pontos fracos. Cada semana um artista é eliminado (na última temporada, com a inserção do 6-Chair Challenge, os Live Shows acabaram sofrendo uma aceleração e passaram a eliminar dois artistas por noite). Normalmente as apresentações são transmitidas em um Sábado e a eliminação no Domingo.

O que eu acho mais interessante no programa é que não é apenas uma questão de voz. E eu me interesso bastante por artistas que possuem presença de palco, e isso é o que mais se considera na avaliação deles. Assim, alguns não possuem a melhor voz do mundo, mas sabem entreter o público e possuem o “fator X” para participar da competição.

Eu assisti as edições 5, 6, 7, 11 e 12 do The X Factor UK e a 3 do The X Factor USA. Pensei em fazer um apanhado das minhas apresentações favoritas considerando todas essas temporadas, mas à medida que fui lembrando se tornou impossível porque são muitos arrasos para escolher poucos. Decidi então fazer uma seleção só da última temporada do The X Factor UK, e escolher um vídeo para mostrar cada etapa e alguns dos maravilhosos participantes que passaram por ela =)

A versão britânica costuma estrear em meados de agosto/setembro de cada ano e dura até dezembro, sempre finalizando antes do Natal para o artista vencedor já concorrer nas paradas britânicas (e eles costumam sempre atingir o 1ª lugar, ainda que o sucesso não vigore por muito tempo – pois a maior parte dos ex-participantes que obtêm sucesso não são os coroados como vencedores).

Fiquem ligados e vamos ficar na expectativa da 13ª temporada do The X Factor UK e na 1ª temporada do The X Factor Brasil! 😀

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s